a curva, o morro

Daquele campo conheço, cada grama,
Cada mato.

No alto, a igreja caiada, favela vazia
Serpenteando imóvel, morro abaixo;
E a cerca aramada que nos protegeu
Do beijo, do horror.

Crioulos do mato,
Tijolos s/ dono,
Pich/dor/asfalt

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s